Impressões kiwis parte final

21. Aqui tem lei seca, mas também tem uma lei do “motorista da vez”. O bar é obrigado por lei a dar suco ou alguma coisa não alcoólica para o motorista da vez, só chegar no balcão, mostrar as caras dos bêbados para o barman saber quem é quem. 

22. Respeite os limites de velocidade quando estiver dirigindo na estrada, pois você leva multa de verdade. Conheço muita gente que passou 10% da velocidade e recebeu a cartinha em casa depois (até demos share no valor).

23. Fique esperto onde estacionar, muitos lugares são absurdamente caros no centro. Melhor ir de busão.

24. As kiwis não se vestem bem. Segundo o Primo (um amigo que mora comigo) elas usam a cortina como vestido e vão pra rua 😀

plastic flowers gaga

25. Tem muitos tipos de cerveja de gengibre aqui! Na verdade chamam de cerveja mas não é alcoólico, é GENGIBIRRA mesmo.

26. O sotaque kiwi é pseudobritânico, mas não abrem tanto a boca para falar e o som do E fica bem pra dentro. Em vez de yés, é yês.

27. NUNCA NUNCA COMA VEGEMITE. É a “nutella” amarga do capiroto!!!! Ela te engana com a cremosidade! Ignorei o meu instinto nasal e  comi pensando que seria doce. RIP paladar. Never again.britney-spears-patrick-gif

28. Comem kiwi com colher. Não comem abacate com açúcar. Acham bizarro banana amassada com nescau.

29.O custo de vida é alto bagarai aqui. Tudo sai caro…luz, água, aluguel, comida, transporte, roupa. Mas isso também depende muito do seu estilo de vida e de onde você vem, por exemplo, se é paulista não deve ser tudo tão caro pra você assim 😀

30. Temperam carneiro com farelo de pão. Não preciso nem escrever a minha indignação sobre este fato.

Bem, este foi o último post sobre a Nova Zelândia. Meu tempo na terra média acabou.

Mas a aventura termina por aqui? Nope.namarie

Anúncios

Impressões kiwis parte II

11. É comum comer carne com batata e mais dois tipos de vegetais cozidos (ou não)  e adicionar sal e pimenta somente na hora de comer. Não temperam com todo amor e carinho como deveria ser. Teoricamente, esse costume está mudando, maaaaas até agora nada.
friends tastes like feet
Além disso, os kiwis não almoçam (comem um sanduíche ou saladinha) e jantam muito bem as seis da tarde. Os lanches são chamados de “tea time”.

12. Em compensação, a variedade de cervejas é grande. As artesanais são gostosas e as embalagens são lindas ❤

13. Água na balada é grátis!

14. Dependendo do seu estado alcoólico, você não entra na balada e não pode comprar bebida. Se o segurança desconfiar que você está alegre demais, causando problemas e vergonha alheia, você será convidado a se retirar.

15. Vai ficar em casa de família? A maioria delas só pensa no seu dinheiro e por mais que se esforcem para demonstrar que gostam de você, ainda assim fica uma pulga atrás da orelha. Claro que há exceções, mas pelo que conversei com outras pessoas, a situação é a mesma.
money breaking bad
No entanto, algumas escutam seus problemas, te ajudam e partilham suas lágrimas.
money zombieland

16. Em plena tarde de sol durante a semana tem muita gente na praia ou no shopping passeando. Não sei se trabalham part time ou tão no tea time ou tão “doentes”. É muito mais gente que o normal. Como as paradas fecham cedo (17 ou 18h) param de trabalhar também.  Ficou doente? Pode tirar folga no trabalho, nem que seja uma vez toda semana. Agora se é estrangeiro, abraço pro gaitero, procura outro emprego.

17. A maioria não tem boa vontade (combinada com preguiça) para fazer certas atividades no trabalho. Por exemplo, se você deseja mudar de curso (uma coisa simples, muda de sala e pega outro visto) e isso envolve preenchimento de papelada invisível, você vai ficar no mesmo curso. Fim.

18. Kiwis soltam pum em a qualquer hora do dia e em qualquer lugar. Isso inclui academia, balada e elevador. Fica a dica de ficar perto de uma janela, pois volta e meia vinha aquela brisa e íamos pra sacada respirar um ar limpo contaminado só por cigarro e não bufa.
fart yellow ranger

19. Quase todo ponto de ônibus tem a tabela com horários dos ônibus. Se não sabe qual pegar, pergunte ao Google ou ao Maxx.co.nz para saber a rota e o preço. Se ainda assim ficar na dúvida, pergunte ao motorista e peça para ele te avisar onde descer. Pode acontecer de ele te deixar no ponto errado (como mencionado aqui), mas tudo se resolve.

20. Caramelo faz muito sucesso! Tanto que o sabor Hockey Pockey (pequenas bolinhas de caramelo) é o sorvete preferido da galera. E o meu também 😀

Impressões kiwis parte I

Algumas coisas que percebi durante minha estadia na terra média.

1.Os kiwis deixam o sapato na entrada da casa para não sujar o carpete (e evitar puxões de orelha da mãe). Mas também esquecem de por quando vão pra rua. E não é só adolescente que anda descalço na rua, vi muitas crianças pequenas com o pé preto andando por aí. Afinal, estamos na idade média e no meio de hobbits, pelo menos os pés não são peludos. Costume aceitável…até o dia que entraram com os pés pretos no tatami para treinar. Minha reação:
2

2.Não importa a temperatura, as meninas estarão de micro shortinho (coberto por uma camiseta larga) ou micro vestido indo pra balada ou fazendo compras. A possibilidade de estarem descalças é grande também. E o penteado da vez é um coque bem em cima da cabeça, não atrás bonitinho, mas no topo mesmo.

3.Apesar de produzirem muito leite e carneiro (60 milhões de carneiros para 3 milhões de pessoas no país), exportam quase tudo. E eu imaginando que pagaria barato.sheep
Doce ilusão.

Pelo que eu li, muita coisa não vale a pena produzir aqui, pois não cobram taxa de importação para alguns produtos, como carro, principalmente se for usado (um carro reba aí tá em torno de 2 mil dólares). Pagar 15 NZD por um kg de tomate quem nunca?

4. A galera bebe muito, mas muito mesmo, sendo que no início da noite já tem gente caindo. Como é proibido beber na rua a noite, vão pros bares e gastam uma nota lá dentro, já que não tem Ajax ou posto para concorrer. Aí ficam loucos, as minas lokonas indo até o chão vulgarmente, pegando o que aparecer pela frente e convidando gente para outros programas. No verão é comum ver um monte de gente caída dormindo na rua depois da balada. Se quiser voltar pra casa: ou você pega carona,  busão limitado (doze reais e a cada sei lá quantas horas) ou táxi com motorista de turbante.

5. As gurias usam saia e sapatinho para ir a escola e os piás bermuda, independentemente do tempo lá fora.

6. A influência inglesa é grande nesse país, tanto que eles tem o Queen’s Birthday, notícias diárias sobre a Inglaterra no “Jornal Nacional”, o sistema de ensino e uniforme e o maldito TOMATO SAUCE, que é o ketchup. E sim, você vai acabar comprando isso achando que é extrato de tomate.
omfgwhyyy
é KETCHUUUUUUUP

Enfim, já entrei em briga com kiwis falando que o certo é ketchup e pronto mas daí eles filosofam sobre a influência norte americana no Brasil, como se fossem mestres no assunto u.u Viro as costas e vou embora
bilbo no

7. As coisas funcionam muito bem por telefone: pouco tempo de espera, simpatia e envolvimento dos atendentes para resolver seu problema, informações detalhadas. Vale a pena ligar se for 0800. Resolvi os “pobrema” e “questã” do banco, do cartão de ônibus, da passagem aérea e da imigração.

8. O banco (pelo menos o meu) não cobra taxa para usar cartão de crédito, só o de débito. Dafuq.

9. Exceto os asiáticos, indianos e maoris, quase todo mundo é loiro com olhos azuis, alto e seco por aqui. Queria ver carninha nos lugares devidos? Só nas gordaças! Fico bem curiosa pra ver esse pessoal de biquíni no verão.

10. Até hoje não sei pra que lado olhar antes de atravessar a rua, pois a mão é inglesa (obviamente). Ainda bem que não dirigi por aqui, certeza que entraria na faixa errada e nem perceberia.
mr bean

Tekapo

Chegamos no final da tarde em Lake Tekapo, um lago menor que o Pukaki e maior que o Ohau. E este é o último post sobre lagos, chega né, tá muito repetitivo. Enfim, a cidade é minúscula, tipo menor que Mallet.laketekapofrioFrio entrando na sua alma, rasgando sua carne até chegar nos ossos.

Tava muitomuitomuito frio que nem queria sair para pesquisar hostel pra ficar, mas como íamos passar muito frio a noite, decidi que era melhor dar um bizu nas redondezas. Estavam quase todos cheios, exceto um, onde o lugar não era lá essas coisas e ainda a Ms Simpatia (a dona) nos tratou como meliantes. Mas né fazer o que. Ganhamos nossa internet de 20mb (isso não é velocidade, fica a dica) e ficamos por lá. Conversei com umas alemãs e jogamos Renata (o jogo do C ou S mas em inglês).monza Um ‘monza’ wtf

No dia seguinte saímos e vimos esta paisagem linda!tekapotekapo2 Muito cuidado pra não escorregar no gelo e quebrar os dentes.churchtekapoIgreja do bom pastor.  Hmmm imagina acordar as 6 da manhã pra ir na missa  e ficar ai dentro por uma hora ou mais. Muita força divina.friododjanhoAté abotoei a jaqueta errada na pressa, frestas congelantes!tekapo3Tem um café chamado Run 77, bem peculiar e rústico, com tortinhas bem gostosas! Uma passadinha lá é altamente recomendada! 😀20130717_092153

Surpresa na estrada

Recapitulando pra quem perdeu: trajeto de Queenstown até Christchuch Parte II: Wanaka até Lake Pukaki.mapa wanakaSempre sempre tire foto do seu mapa, pois você pode perdê-lo e o Ipad não é suficiente. #ficadica Olha aquela cidade ali Tarras, muito nome medieval véi!

Após o hotel antigaço, dirigimos até Wanaka e o lago homônimo, sendo o quarto maior lago da NZ com 192 km2  com 300 m de profundidade O.o. Muitos muitos vulcões e geleiras pra criar tantos lagos e montanhas num lugar só fala sério. wanaka2Pena que o dia estava nublado e friozinho. Wanaka tem umas paradas aventurescas e mortais, tipo Skydiving, snowboarding, escalada e pescaria (vai que tem um monstro nesse lago).wanakaAlém do lago não tem muita coisa pra ver na cidade, a qual é pequena com várias lujinhas. O bizu é visitar cachoeiras, subir montanhas, pedalar por aí…atividades para o verão com muito sol pra pele ficar morena cor do pecado.sanduiche fracoAproveitamos o visual para almoçar um sanduba esperto.Deu moh peleia entre patos e gaivotas nesse momento, estavam todos famintos e sedentos por qualquer coisa que caísse da nossa mão, se marcar comiam até dinheiro. O André foi perseguido por uns 20 patos durante uns cinco minutos e conseguiu sair vivo depois de muito tenkan (esquivas). Dali pegamos a estrada de volta em direção a Twizel para ver cenários do Senhor dos Anéis. Entramos na cidade e vimos que teria que dirigir um bocado, entrar nas fazendas até aparecer alguma coisa hobbitiana e desistimos pois já estava escurecendo e os albergues ali não foram muito convidativos. Continuamos tristes o caminho, mesmo porque não esperávamos lugares surpreendentes após Milford Sound. Mero engano.lindispassdocoracaoEssa imagem fantástica tem ZERO ZERO de photoshop. Só muita astúcia, técnica, amor no coração de quem vos escreve e câmera boa da sony (daquelas que era pra ser reba, porém capricharam na bichinha).   Esse é o ponto Lindis Pass, o mais alto (971 m) da estrada State Highway 8 entre Cromwell e Omarama. Se eu não estivesse passando tanto frio e tossindo os pulmões pra fora, teria ficado aí por uns cinco minutos. Fiquei realmente impressionada….até o lugar seguinte.lake pukakiFoto roubada honestamente do André Matos (calma gente, não tem nada a ver com Angra). lake pukaki 2Esse sim é ‘O’ lago com efeitos espelhados. Nossa querida Wikipedia diz que o lago Pukaki é azul devido a “alimentação glacial” de partículas de rocha extremamente finas vindas das geleiras. Isso necessita um meme.yeahsciencebitch

Dorgas mano, muita metanfetamina ali e da azul ainda XD… como não sou cientista, eu prefiro acreditar que é mágica e que quando não tem ninguém admirando o lago surgem unicórnios, pirilampos e arco íris.

Cidade da rainha

Eu moro no norte de Auckland e pra chegar no aeroporto é um sufoco, ainda mais com vôo marcado as 7 da manhã (madrugada). Para resolver o problema, nos convidamos (self invite) pra dormir na casa de uns indianos gente fina do curso, pois eles moram lá perto e tem carro. A gente tem a lábia e eu muito óleo de peroba.  O engraçado é que aceitaram sem hesitar. Beleza, ficamos mais contentes ainda quando nos pegaram em casa, pagaram janta (pizza e cerveja que não comem nem bebem devido a crenças etc) e nos levaram no aeroporto no dia seguinte. E ainda dormiram na sala e no frio (noite mais fria em AKL) tadinhos pra gente dormir na cama deles (e  estava limpinha!!!). Esses são abençoados por Shiva! Dormimos duas ou três horas naquela noite, quase perdemos o vôo pois tava todo mundo dormindo sonolento e frio do djanho lá fora,  mas valeu muito a pena, economizamos algum dinheirinho sagrado!!!

Depois de uma hora e meia voando, a paisagem é esta.queenstownvoomuitas muitas muitas montanhas, rios e oceano!!!queenstownvoo2Nosso vôo foi tranquilo, mas meus amigos tiveram algumas turbulências nessa parte ae.IMG_0329Chegamos na cidade da rainha! E pra me receber um caminhão de mana! Já comprei meu estoque, lvl up em breve! Vista do aeroporto que não fica em Queenstown e sim Frankton, mas né, a cidade maior fica com a glória a la CWB. RIP SJPIMG_0336Vista do busão e ~tubo~ .

Queenstown é uma mini cidade que sobrevive por causa do turismo de aventura (lê-se atividades que você gasta uma nota para quase morrer, tipo bungee jump, ski, skydiving). É uma cidade bem simpática,  fácil de se movimentar(se você conseguir hostel no centro) e linda. Ouvi dizer que tem vários bares e baladas (mesmo porque não fui em nenhuma, dores do snowboard e gripe). Infelizmente não tenho nenhuma foto reluzente da cidade, pois o único dia que andamos por ela estava nublado e meio que nevando toscamente.  O que eu senti sobre Queenstown: a cidade tem um centrinho com lujinhas estreitas e turísticas, uma parte portuária com hotéis,  árvores e churrasqueiras e uma parte com casas, hotéis, motéis, albergues e o que imaginar pra dormir tem. Quase todos os prédios possuem um estilo europeu e tudo é muito novinho e planejado, provavelmente porque a cidade foi fundada em 1860 e talz.

As lujinhas vendem de tudo, desde tapetes de ovelha, bichinhos com pele de alpaca ou lhama, cachecol de esquilo até as lembranças normais tipo cartão postal. E não deixam fotografar nada!alpacaNa mocagem tudo vale! Se não fosse o olho da cara, presente amor no coração garantido pra Karin.

O lago que banha a região se chama Wakatipu e é o terceiro maior lago do país com 80km de comprimento. Tirando o monstro, este lago é muito parecido com o Ness da Escócia e já foi utilizado para gravações hollywoodianas no filme The Water Horse: Legend of the Deep. E nem preciso falar do outro filme né. Amon hen, Lothlórien, Dimrill Dale, Rohan e Argonath foram filmados aqui e ali. Também teve algumas produções perdidas de Bollywood. queenstown3não tinha tanto pato assim gente, é CG.waikatipuVista da parte com churrasqueiras..faltou uma costela e tempo bom 😀

Na ida pro mercado nevou!!! Detalhe pro mercadinho que fica no centro: muita gente, muito pequeno e muito caro. Saia dele, vire a direita e quando não der pra ir reto, vá pra esquerda. Lá tem outro mais em conta!neveNão caiu na mesma quantidade do que em Guarapuava mas tá valendo!!!

Tauranga e o vulcão

Tauranga é um dos lugares mais bonitos que conheci. Definitivamente.É a cidade mais populosa da ragião Bay of Plenty, situada no leste da ilha norte. E também mais baladinha que Takapuna u.utaurangaDecidimos ir pra lá por acaso. Apareceu a placa e fomos. Simples assim, sai do Condado e vira a direita ali. Fomos informadas pela pilota do Pierre que a vista é linda e que dá pra subir o Monte Monganoi, Munganui, algo assim… O certo: Maunganui!!!  Outro vulcão extinto ( até voltar para o Brasil faço uma lista de quantos subi!). Segundo a nossa amada Wikipedia a formação desse monte possibilita uma praia para porto (Pilot Bay) e uma praia oceânica ótima para surf mas também perigosa com partes rochosas cortantes e mortais MUAHAHA. Nosso objetivo era subir o monte e ver o pôr do sol de lá, porém decidimos brincar de atletas e contorná-lo antes. Vish.  Isso vai dar treta.tree taurangaAh se eu soubesse que seria tão cansativo tinha ficado por aqui mesmo.tauranga2Valeu a pena andar um monte: a vista compensa cada passo!tauranga3O monte é tipo um point da galera, tinha muita gente caminhando por ali em todas as direções. No caminho há várias conchas, muitas mesmo, deixam o chão branco em certos locais. Provavelmente estão ali há muito tempo, resultado de alguma era longínqua quando não havia ovelhas em todos os cantos kiwis. Uns 50 minutos depois, quando completamos a volta, começamos a subir pela ‘rampa natural’. O caminho hardcore com degraus intimou, mas deixamos quieto, quem sabe na próxima. Já estávamos esgotadas e quase no fim do caminho quando metade do grupo sentou no banquinho, vendo coelhinhos e o sol se pôr. Eu e a Marina não desistimos, fomos até o final. Em questão de três minutos PIMBA, o sol sumiu e não vimos nada, pois estávamos subindo um caminho tortuoso, cheio de sombras e árvores. -_- Mas chegamos lá!Maunganui*Eye of the tiger rolando no fundo PAN PAN PAN PAAAAAAAAN Risin’ up, back on the street…*sunset taurangado outro lado das árvores foi isso que aconteceu.

Meus joelhos tavam pedindo arrego “PELAMORDEDEUS VAI DORMIR MENINA”, cada passo era uma desgraça, cheguei manca no carro! E ainda tem mais km pela frente!

Próximo episódio de Apure guria: Será que a Angela sobreviverá a mais uma tragédia? Duas horas para chegar em Rotorua! O encontro maori retardado! HIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!