Rindo da desgraça alheia

Desde a minha infância fujo de galos, vacas, pinchers…e agora posso adicionar aranhas e macacos na lista. Algumas pessoas ainda não acreditam, mas eu juro de pé junto que é verdade e tenho testemunhas.
O primeiro ataque do dia aconteceu quando decidi tirar uma foto de uma aranha preta de uns 10 cm só de pernas. Pra quê….mesmo sabendo que não era venenosa, corri quando ela saltou repentinamente para o chão salivando ódio e logo em seguida na minha direção. A evolução é sábia quando não dá asas à bichos como esse…pena que esqueceu das baratas.
Já o ataque primata…..Tudo começou quando visitamos invadimos o lar inferno sagrado desses animais endemoniados que, vejam só, se trata de um parque de preservação chamado Monkey Forest. Aproximadamente 400 pulguentos vivem em um espaço privilegiado em Bali.image Pagamos pra viver o perigo de um possível ataque, não requisitaram assinatura de seguro ou atestado de óbito, nem nome num caderninho de orações. Vai lá minha fia, você tá sozinha nessa. Tinha turista dando milho e bananas adquiridas em trocas de moedas, todos com um sorriso no rosto. Pobres almas desprovidas de consciência do perigo….como já diria o Ross…image
Após o corridão de um macaco é que se dá valor a própria vida.

image Essa foi a foto que provocou o ataque, pois não bastava tirar pulga, resolvi encostar levemente dois dedos nas pontinhas do pelo de um MACHO. Gente, ele virou rapidamente, arregaçou a boca revelando os caninos afiados de três centímetros cada e eu corri.
tumblr_mssf31Vyzq1qlzd32o1_500
Quase isso.

Nem deu tempo de pensar em nada, corri uns quatro metros antes de olhar pra trás e ver que o demônio estava sentado no meu lugar e guardando meu chinelo perdido. Tive a leve impressão que as unhas dele passaram uns centímetros da perna, por sorte não encostaram na pele contaminando o pobre receptáculo da minha alma. Se tivesse sido mordida, sabe lá Odin como seria tratada e vacinada umas 13 vezes contra raiva e tudo o que há de horrível nesse mundo. Eu, ainda por cima, estava sem lenço e sem documento. Pedi para o guardinha dar um jeito no bicho pra eu poder ir embora. Ele pegou uma pedra do chão e arremessou próximo a ele. Beleza, seguro para resgatar o chinelo. Mero engano, o macaco estava um pouco mais longe mas olhando para mim com ódio no coração. Vish, minha amiga pegou o chinelo rapidamente e fomos embora antes que o macaco reunisse os comparsas da gangue.

Anúncios

2 respostas em “Rindo da desgraça alheia

  1. Esse relato ta parecendo aqueles depoimentos de quem viu ET em cidade do interior… cheio de buracos e partes mal contadas… aposto que os macacos tinham amor no coração e você criou essa história só pra denegrir a imagem dos pobres babuinos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s