A longa jornada operária

Desde que chegay aqui tenho procurado empregos, trampos, bicos. Fiz cinco, CINCO versões diferentes do meu currículo e atualmente estou com uma versão massa para design e afins e outra de pedreiro (tira tudo importante e deixa as experiências mais rebas). Enviei CV pra todas as empresas que apareceram na busca nos confins do Google, isto inclui todas até a página 18 aproximadamente. Odin, Shinigami e até Carmen Sandiego receberam uma cópia também. Ou seja: estava desesperada pra trabalhar como designer, pois quero porquequero sair daqui com uma experiência kiwi na área!! Mesmo que seja impossível! ruaaaargh

Procurei nos sites seek.co.nz e trademe.co.nz ofertas de designer, garçonete, segurança, atendente de loja, além das oportunidades enviadas pela escola. Ninguém me quis até aparecer duas entrevistas. Uma num hotel muito phynesse e outra numa Kalunga da vida láááá no centro da cidade.
No hotel: entrevista super rápida, preencher uns papéis até o cara chegar, ler meu currículo e me perguntar pq queria trabalhar no hotel e como atendente. Ou seja, sai de lá sabendo que não iria ser contratada por ser overqualified.
Meu erro: ter colocado a pós nesse CV.
Na lujinha: gente, imagina um lugar menor que o primeiro andar da JZ (aquela mini gráfica perto do cefetão), quente, quente. Nossa quis sair dali no minuto que entrei, mas o capitalismo comanda nossas vidas, então fui. O cara não entendeu q só posso trabalhar 20h e que PRECISA de TRES MESES pra ensinar alguém a mexer nas máquinas. Meh.
Meu erro: não ter feito uma carta destacando o TRABALHO MEIO PERÍODO em comic sans, vermelho com borda amarela, piscante, corpo 72.
Depois disso, enviei mais CVs online até conhecer uns malucos casca grossa mas gente fina que sabem como arranjar um emprego.”Sai distribuindo cópia nos restaurantes em Takapuna (o bairro badalado onde estudo)”. Imprimi a versão 5 e vamos lá. Choveu, fui pra casa. 😀 Faço isso semana que vem. Me cadastrei em alguns sites de freelance jobs e enviei umas propostas pra pessoas daqui. Dois dias depois recebi uma mensagem, enviei alguns exemplos do meu digníssimo trabalho e consegui uma entrevista. Conseguiiii!! HALLELUIJA! Erguei as mãos pra ajudar o GOKUUU /O/!!
genki-dama goku
Depois de tanto suor, kms percorridos de lama, chuvas e chuvas, finalmente consegui meu lugar ao sol do capitalismo. Dá licença que vou estender minha toalha na areia aqui moço.
Algumas dicas importantes em relação à emprego em Auckland (pode ser que em outras cidades seja diferente)
_Sim, a NZ gosta de receber TURISTAS, oportunidades de emprego são complicadas, até mesmo as mais simples, pois tem muito kiwi, indiano e asiático disputando a vaga. Provavelmente nós das terras tupiniquins temos algumas vantagens. Consegui emprego porque uma brasileira fez uma boa imagem de nós mesmos em relação à eficiência, comprometimento e qualidade. Obrigada moça! Façam o favor de passar essa imagem também.
_Kiwis não gostam muito de contratar não kiwis, mas negam esse fato se comentar algo com eles.
_Vagas de hospitalidade dependem da estação. Agora é inverno, então corre pra ilha sul, ver alguma neve, passar frio, tomar leitE quentE.
_Faça o CV para a vaga: educações superiores são abolidas, pois a maioria dos kiwis tem uma mentalidade meio “fazendeira” (de acordo com meu professor): pós gradução é pra ryco e pessoas metidas e que “vão definitivamente tomar seu emprego, então corte o mal pela raiz”. Vai entender. Não tem educação gratuita superior aqui, mas posso estar errada. Acho que no máximo são bolsas para espertos pra Uni.
_Não se sujeite a trabalhar por menos de 13,75 por hora. Esse é o salário mínimo, se for menos, vai pagar caro pra trabalhar, pois tudo aqui é caro (ônibus, comida, casa, tudo).
_O ritmo dos kiwis é beeeeeeeeeeeem mais sossegado. Trabalham bem menos e muitas vezes são relaxados (segundo meu futuro chefe). Se for ver a relação custo x ganho sai caro também! eita! Então fique esperto pra mostrar eficiência!
Agora falta resolver a burocracia contratual. Mas isso fica pra terça, pois aqui é aniversário/feriado da rainha na segunda e vou aproveitar o feriado viajando.
Editado seis meses depois:
Assinei o contrato, enviei pro cara. Fim. Não recebi nenhum projeto,não ganhei nada, perdi meu tempo total. O otário não teve nem a decência e profissionalismo de cancelar, só cessou contato “We don’t have any new project yet” Sendo que tinha milhões na entrevista. Certeza que achou outra pessoa mais “baratera”. Malditos fazendeiros que acham uma mini empresa a top do mundo. Fico feliz de ter acontecido isso, vai saber se eu receberia meu dinheirinho suado no futuro. Abraço pro gaitero, abraço pra NZ, abraço pra toda esse jeito de ser totalmente errado, adeus, até nunca mais.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s